90 milhões para obras da Barragem Serro Azul. Mas sem data de conclusão

A barragem de Serro Azul, entre Palmares e Bonito, há mais de quatro anos em obras, recebe novo aporte e finalmente é citada pelo governo do e3stado, em silêncio sovbre o assunto há praticamente um ano. Projetada como solução para as enchentes no Litoral Sul e Mata Sul (junto com outras barragens menores),  tem 80% das obras concluídas, segundo o governo do estado. Mas este percentual não garante em nada a segurança das populações ribeirinhas de uma dezena de cidades que são afetadas cada vez que as chuvas estrapolam a média e provocam enchentes.
O governo do estado divulgou, dia 30 de abril, que destinará 90 milhões de reais dos cofres do estado para dar mais agilidade à obra, que além de lenta, recebe críticas de vários setores.
Segundo a assessoria de imprensa do governo do estado, “O novo fôlego nas obras fará com que a barragem também esteja preparada para qualquer eventualidade no período de chuvas que se aproxima.
Uma comitiva da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC) vistoriou dia 24 de abril as obras das barragens de Serro Azul e de Igarapeba, em São Benedito do Sul. As obras da última estão 30% concluídas. Destinada à contenção de enchentes e também ao abastecimento da região, Igarapeba terá capacidade para armazenar 68 milhões de m³, protegendo de enchentes todos os municípios da bacia do Rio Piranji, como Jaqueira e Catende, e reduzindo o volume de contribuição afluente ao Rio Una, o que significa aumentar a proteção de Palmares, Água Preta e Barreiros. O investimento é de R$ 139 milhões.
Porém, o governo do estado mais uma vez não forneceu nenhum cronograma das obras nem das últimas desapropriações que permitiriam o avanço total das obras.
Vale salientar que mesmo com dinheiro, as chuvas na Mata Sul já começaram, e obras deste porte com chuvas são sempre complicadas. Não se sabe quando será finalizada a barragem Serro Azul (nem as outras que fazem parte do sistema de contenção), mas uma coisa é certa; neste inverno de 2015 estaremos todos ainda à merce das chuvas.